A importância da colonoscopia como prevenção do câncer colorretal

Instituto Nacional do Câncer (INCA) prevê cerca de 45 mil casos novos de câncer colorretal para cada ano do triênio 2023-2025

Mesmo antes dos sintomas e sinais aparecerem, o câncer colorretal pode ser diagnosticado com exame de colonoscopia. Semelhante à endoscopia, o procedimento capta imagens da porção final do intestino delgado, do intestino grosso (cólon) e do reto. Além de tumores, o procedimento pode detectar outras enfermidades, como doenças inflamatórias do intestino.

No Brasil, estima-se que mais de 45 mil novos casos de câncer colorretal sejam registrados por ano, entre 2023 e 2025, equivalente a 21,10 casos por 100 mil habitantes, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA). [i]

O exame é realizado sob sedação endovenosa, ou seja, permite que o paciente durma e não sinta nenhum desconforto durante o procedimento, que investigará possíveis lesões na superfície interna do intestino.[ii]

O procedimento dura em torno de 40 minutos e o paciente só deve realizá-lo caso esteja acompanhado, pois o uso de sedativos causa sonolência e alteram atenção e equilíbrio. “É um exame muito importante para o diagnóstico precoce do câncer colorretal. Com a detecção do tumor em fases iniciais, aumentam as chances de sucesso do tratamento”, explica Sérgio Teixeira, diretor médico da Ferring Brasil.

Além de sinais sugestivos do câncer intestinal, o exame identifica doenças inflamatórias do intestino, como a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa, que também podem apresentar como sintomas diarreias crônicas e sangramentos nas fezes.[iii]

Entre os fatores que podem aumentar o risco de câncer colorretal estão obesidade, sedentarismo, alimentação inadequada, tabagismo e alcoolismo. É importante enfatizar que apresentar um fator de risco não significa que a doença se desenvolverá.

Há também fatores de risco que não podem ser alterados, como a idade. O câncer colorretal é mais comum após os 50 anos e entre pessoas com histórico pessoal ou familiar de pólipos adenomatosos ou câncer colorretal, histórico pessoal de doença inflamatória intestinal, síndromes hereditárias e diabetes tipo 2[iv].

O câncer colorretal, quando descoberto precocemente, tem chances de cura entre 90% e 95%[v]. Para pessoas que não apresentam sintomas e não possuem histórico familiar, o recomendado é fazer o exame a partir dos 45 anos e repeti-lo conforme recomendação médica.


[i] Câncer de cólon e reto. Instituto Nacional de Câncer (INCA). Disponível em: Link

[ii] Tudo sobre colonoscopia. A.C.Camargo Cancer Center. Disponível em:

Link. Acesso em 14 de novembro de 2023.

[iii] Exame de colonoscopia: entenda o que é, para que serve e como é feito. Doctoralia. Disponível em:

Link. Acesso em 14 de novembro de 2023.

[iv] Fatores de risco para o Câncer Colorretal. Oncoguia. Disponível em:

Link

Acesso em 14 de novembro de 2023.

[v] COLONOSCOPIA: POR QUE FAZER ESSE EXAME? Hospital Badim – Blog Oficial. Disponível em:

Link

Acesso em 16 de novembro de 2023.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Segundo José Todescan Júnior, membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética, a adoção de uma rotina prática…
Além de palestras, edição contará com lançamento da campanha de prevenção à gravidez na adolescência e lançamento…
Ginecologista do CEJAM desmitifica o tema em entrevista A pílula do dia seguinte, um método contraceptivo de…
Especialista destaca a importância do planejamento reprodutivo em meio à crescente tendência de gravidez tardia Trinta e…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS