Com 17 mil participantes, 53ª Jornada Paulista de Radiologia (JPR 2023) supera expectativas dos organizadores

Por ser silenciosa, a doença renal merece atenção nos primeiros sinais principalmente de paciente com comorbidades

Responsável por remover resíduos e o excesso de água do organismo, os rins, muitas vezes acabam não recebendo os cuidados de prevenção necessários, e os problemas renais são descobertos em fases já avançadas, o que pode diminuir as possibilidades de tratamento.

Dados da organização internacional World Kidney Day mostram que 10% da população mundial padece de doença renal crônica, que se não for tratada, pode levar a morte[i]. A Doença Renal Crônica (DRC) é uma lesão que avança de maneira progressiva e irreversível, que pode evoluir para terapia renal substitutiva: hemodiálise, diálise peritoneal ou transplante. Dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), o número de pessoas acometidas pela DRC é crescente e mais de 140 mil já realizam diálise no Brasil[ii].

“O paciente deve realizar anualmente o exame de creatinina, caso tenha comorbidades como hipertensão e diabetes, esse exame deve ser repetido com mais frequência”, destaca Bruno Graçaplena, nefrologista e responsável técnico pela DaVita Monte Serrat.

A creatinina é um composto originado da creatina e que é filtrado e eliminado pelos rins. Ao medir as taxas dessa substância no sangue é uma maneira de avaliar a saúde renal de um paciente. Pessoas que sofrem de doença renal apresentarão níveis elevados de creatinina.

Alguns fatores podem levar à insuficiência renal crônica como o diabetes, a hipertensão, doenças cardiovasculares e tabagismo, mas nem sempre os sintomas surgem na fase inicial, por isso, estar atento a alguns sinais que o corpo apresenta pode ser um alerta para problemas renais.

“Hipertensão de início recente ou súbito e alterações do fluxo urinário, assim como inchaço nos membros inferiores e no rosto são sinais de algo pode estar errado com os rins”, complementa Graçaplena.

Fique atento a outros sintomas:

  • Alteração na cor e no cheiro da urina;
  • Insônia;
  • Presença de espuma na urina;
  • Falta de apetite;
  • Sabor metálico na boca;
  • Fadiga;
  • Pressão na barriga no ato de urinar.

Manter os níveis de creatinina adequados auxiliam em manter os rins saudáveis, por isso é importante reduzir o consumo de sal, se atentar ao peso, praticar exercícios, monitorar a pressão arterial, evitar medicamentos sem prescrição médica e beber muita água.

Imagem: Posse da nova diretoria da Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (SPR)

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

A Evolution orgulhosamente destaca a iluminação do Congresso Nacional na cor laranja, uma iniciativa importante da revista…
Médica detalha as principais causas, métodos de diagnóstico e opções de tratamento Entender qual a diferença entre…
Artigo científico que conta com a autoria de associados da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) demonstrou…
Durante o mês da Conscientização sobre a Infertilidade, o “Nós Tentantes, Projeto de Vida” idealizado por Karina…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS