Congresso HIMSS@HOSPITALAR antecipa tecnologias que chegarão à cadeia de saúde até 2030

Tendências nas áreas de desfragmentação,  plataformização,  remotelização e algoritmização  serão abordadas neste fórum que irá reunir especialistas do Brasil e do Exterior.

Sob o tema “Future of Digital Health – Antecipando 2030”, o Congresso HIMSS@Hospitalar Fórum 2023 vai debater de 23 a 26 de maio as principais matrizes tecnológicas que chegarão à saúde nos próximos anos, tanto da rede pública como privada. O encontro integra a programação da 28ª Hospitalar, o principal evento e plataforma de geração de negócios e networking do setor de saúde na América Latina.

As sessões do fórum serão orientadas para quatro grandes vetores: (1) desfragmentação dos dados, a (2) expansão das  plataformas digitais na cadeia de saúde, a (3) prática da medicina a distância – da telemedicina ao monitoramento remoto dos pacientes e a (4) intensificação do uso da inteligência artificial na saúde.

“Dentro desses eixos gravita boa parte das transformações digitais em curso, não só no Sistema Nacional de Saúde como em boa parte dos países do G20”, afirma Guilherme Hummel, coordenador científico do congresso.  “A velocidade das transformação requer estudo, investigação e preparação para aferirmos o seu impacto sobre o ecossistema nacional e da América Latina”, complementa.

O congresso é resultado de uma parceria entre a Hospitalar e o HIMSS – Healthcare Information and Management Systems Society, a maior sociedade mundial de tecnologia de informação em saúde do mundo. Criada em 1961, esta organização sem fins lucrativos possui sede nos Estados Unidos e reúne cerca de 120 mil membros individuais, 430 organizações prestadoras de serviços, 500 parceiros sem fins lucrativos e 550 organizações de serviços de saúde em todo o mundo.

Desfragmentação

A discussão sobre as estratégicas e ferramentas para desfragmentar o sistema nacional de saúde vai abrir a programação do Congresso HIMSS@Hospitalar Fórum 2023 no dia 23. Na pauta estarão dois estudos de caso internacionais. O primeiro mostrará como o sistema de cuidados integrados do NHS, Serviço Público de Saúde britânico, está reduzido a fragmentação da saúde do Reino Unido. O segundo abordará a estratégia digital da atenção primária da Espanha e o cuidado contínuo coordenado.

Em meio a esses estudos de caso, especialistas irão debater como a Rede Nacional de Dados de Saúde (RNDS), também chamada de Open Health, poderá ser uma estratégia brasileira de desfragmentação do sistema de saúde. O fórum discutirá como a saúde digital poderá revolucionar a atenção primária no Brasil.

Plataformização

No dia 24, o congresso lançará foco sobre a tendência mundial dos sistemas de saúde públicos e privados se transformarem em plataformas abertas, semelhantes a um market place. Especialistas estrangeiros vão antecipar as megatendências neste campo e descrever o potencial dessas estruturas digitais para reduzir a barreira entre os pacientes e o sistema de saúde, melhorando sua eficiência.

Durante a programação, o fórum abrirá espaço para as questões relacionadas à saúde no País. Em diferentes debates, irá abordar como as plataformas digitais podem melhorar o acesso e a eficiência do Sistema Único de Saúde (SUS), bem como os passos que faltam para o Brasil adotar plataformização da saúde até 2030. Também apresentará o papel estratégico dessas estruturas no compartilhamento de dados e no engajamento dos pacientes, além de apontar caminhos para que os dilemas da falta de interoperabilidade sejam superados.

Remotelização

A telemedicina e outras atividades na área da saúde, que hoje podem ser realizadas de forma remota, serão abordadas no dia 25. Especialistas internacionais vão expor como o monitoramento remoto – feito por dispositivos médicos e inteligência artificial – estão criando novas formas de gestão das doenças crônica. Durante o almoço, haverá a exposição de um estudo de caso internacional sobre a evolução da telessaúde e do cuidado residencial.

Uma das sessões irá enfocar as tendências da Internet das Coisas Médicas (IoMT) com o avanço da tecnologia 5G no País. Neste dia, a programação prevê a realização de dois debates. O primeiro discutirá porque a telessaúde mental ganhou relevância no pós-covid e o segundo traçará o perfil da cadeia de saúde em 2030, explicando por que os sistemas universais de saúde serão dependentes da conectividade em 2030.

Algoritmização

O Congresso HIMSS@Hospitalar Fórum 2023 termina no dia 26 abordando o uso de inteligência artificial na saúde. O impacto do ChatGPT sobre o bioma da saúde abrirá a pauta do dia, que prosseguirá com uma demonstração ao vivo de aplicação na área de saúde e de outras ferramentas de aprendizado de máquina na cadeia de saúde.  Dois estudos de casos internacionais vão mostrar como a tecnologia blockchain está transformando as redes de serviços e como as ferramentas de inteligência artificial poderão detectar infecções microvirais.

A programação prevê ainda a realização de três debates. O primeiro abordará a automação inteligente na saúde. O segundo mostrará como será o médico graduado em 2030 e como a utilização de machine learning fará toda a diferença para ele na prática clínica. Já o último vai discutir como será realizada a migração de um sistema baseado em doenças para um sistema orientado por dados de saúde e bem-estar até 2030.

Programação Congresso HIMSS@Hospitalar Fórum 2023

22 de maio – a partir das 14h

–  Integrated Care Systems (ICSs): estratégia do NHS para redução da fragmentação do sistema

– Open Health Brasil: estratégia nacional de desfragmentação da Rede Nacional de Saúde (RNDS)

– Estratégia Digital em Atenção Primária da Espanha: cuidado contínuo coordenado – Estudo de   caso da Espanha

– Como a Digital Heath pode revolucionar a Atenção Básica Primária no Brasil até 2030?

Dia 23 de maio – de manhã a partir das 9h30

–  Megatendências em plataformas para Saúde. Plataformas de Digital Health podem suportar  estratégias de VBC (Value-based Cost)

–  Plataformas digitais facilitando o compartilhamento de dados do paciente. Superando o dilema da interoperabilidade

– Engajamento do Paciente: um dos maiores desafios deste século. Como as Plataformas de  Dados Clínicos vão ajudar

– Mayo Clinic Platform: uma janela dentro do Futuro para os sistemas de Saúde – Estudo de caso

– Plataformas Digitais facilitando o SUS a dar ‘saltos’ de acesso na saúde populacional, com efetividade e resolutividade

– Tecnologias estão diminuindo as barreiras entre pacientes e serviços. Como as Plataformas Digitais otimizam a eficiência do sistema

– Quais os passos para o Brasil adotar Plataformas de Dados em saúde até 2030?

Dia 24 de maio  – de manhã a partir das 9h30 e à tarde a partir das 14h

– Monitoramento Remoto permitindo novas formas de gestão em Patologias Crônicas: Devices,   IA e Alfabetização do Paciente

– “Sensorização (IoMT) e 5G: o corpo do paciente conectado ao mundo. O que vem pela frente neste século?”

– Por que o serviço de Telessaúde Mental passou a ser hoje mais importante? Competência terapêutica digital e demandas pós-Covid

– A evolução da Telessaúde e do Cuidado Residencial. O hospital dentro da casa do paciente –  Estudo de Caso

– Figital: perfil da Cadeia de Saúde em 2030. Por que os Sistemas Públicos de Saúde (SUS) serão intrinsecamente dependentes de conectividade?

Dia 25 de maio –  de manhã a partir das 9h30 e à tarde a partir das 14h

– “ChatGPT: impacto na saúde. Oportunidades e obstáculos das novas máquinas de IA no bioma   sanitário”

– Exemplo de aplicação na saúde do ChatGPT (ao vivo) e de outras ferramentas de aprendizado de máquina na Cadeia de Saúde

– “Automação inteligente na Saúde: casos, resultados, problemas, aceitação do usuário e questões regulatórias”

– “Como Blockchain está transformando as redes de serviços. Impactos de curto, médio (2030) e longo prazo nos serviços de saúde em rede” – Estudo de caso

– “Ascensão do médico orientado por dados. Um profissional graduado 2030 que não sabe utilizar machine learning terá dificuldades de encontrar trabalho”

– Antecipando as crises epidêmicas. Ferramentas metagenômicas com IA para detecção de infecções microvirais” – Estudo de caso

– “2030: ecossistemas de saúde orientados por dados. Como migrar de um sistema baseado em doenças para um ecossistema orientado a dados?”

Serviço – Hospitalar 2023- “O poder das plataformas e seu potencial transformador na saúde”

Data: 23 a 26 de maio, das 11h às 20h

Local: São Paulo Expo (1,5, Rod. dos Imigrantes – Vila Água Funda, São Paulo, Brasil)

Programação: Clique aqui,

Credenciamento: Clique aqui. – Antecipado: Gratuito. No Local: R$70,00.

Credenciamento imprensa: Clique aqui.

Sobre a Informa Markets Latam

A Informa Markets conecta pessoas e mercados por meio de soluções digitais, conteúdo especializado, feiras de negócios, eventos híbridos e inteligência de mercado, construindo uma jornada de relacionamento e negócios entre empresas e mercados 365 dias por ano. Presente em mais de 30 países, atua na América Latina há 27 anos, com escritórios no Brasil e no México, entregando anualmente mais de 30 eventos híbridos, 70 eventos digitais, portais de notícia e plataformas digitais de conexão e negócios. Para saber mais, acesse aqui.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Considerada a segunda doença mais frequente entre mulheres na sua fase reprodutiva, endometriose pode levar até sete…
Uma em cada dez mulheres no mundo podem sofrer com o problema de saúde De acordo com…
O principal cuidado em relação aos miomas é a realização de exames periódicos, afirma o  especialista em…
Diante do crescimento alarmante dos casos e mortes em 2024, a especialista do Hospital Digital Vitta, do…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS