A fertilidade é um evento de todo o corpo, e não somente algo que acontece nos ovários e nas tubas uterinas

Décio Roberto Kamio Teshima*

A fertilidade é um evento de todo o corpo, e não somente algo que acontece nos ovários e nas tubas uterinas. Neste sentido, a acupuntura, que é parte da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) e consiste na arte de escolher determinados pontos pelo corpo para atingir o equilíbrio, pode ser um tratamento complementar muito importante.

Os primeiros relatos da acupuntura surgiram há mais de 4 mil anos. Na Dinastia Han, alguns pontos de acupuntura foram descobertos quando soldados feridos em batalhas por flechas, em determinadas partes do corpo, curavam-se de algumas doenças crônicas.

De acordo com a nomenclatura da World Health Organization (WHO) de 1991, existem cerca de 400 pontos interligados por 20 meridianos (canais de energia). Esses pontos estão localizados por todo o corpo e apresentam maior condutibilidade elétrica por um aumento das gap junctions intercelulares. Além disso, apresentam um aumento na taxa metabólica, na temperatura e na concentração de cálcio intracelular. Após a colocação das agulhas na pele, o estímulo chega ao sistema nervoso central pelas fibras A delta e C. Ocorre uma neuromodulação em três níveis: local, espinhal e supraespinhal, com liberação de várias substâncias (principalmente neurotransmissores), modulando funções motoras, sensoriais, autonômicas, neuroendócrinas e emocionais.

Nos últimos anos, alguns estudos mostraram um aumento da taxa de gravidez clínica em mulheres submetidas aos ciclos de fertilização assistida com acupuntura. Em 2002, Wolfgang Paulus publicou um estudo prospectivo e randomizado com 160 mulheres em tratamento de fertilização in vitro (FIV). Oitenta foram submetidas a acupuntura e 80 foram randomizadas para o grupo controle sem a acupuntura. A acupuntura foi realizada somente no dia da transferência de embriões, uma sessão antes e outra logo após o procedimento, com duração média de 25 minutos. A taxa de gravidez clínica no grupo das pacientes submetidas a acupuntura foi de 42,4% versus 26,3% (p<0,03) no grupo controle. Os autores concluíram que a acupuntura, quando realizada no dia da transferência de embriões, aumentou a taxa de gestação clínica.

A acupuntura pode ser utilizada como complemento aos tratamentos de reprodução assistida para qualquer mulher, independentemente do fator de infertilidade. Para aquelas que desejam uma gestação espontânea, a acupuntura também pode ser uma grande aliada, exceto para as que apresentam alterações anatômicas. As principais indicações são infertilidade sem causa aparente, síndrome dos ovários policísticos (SOP), endometriose, doenças anovulatórias e fator masculino leve.

Os principais mecanismos de ação pelos quais a acupuntura pode aumentar as taxas de gestação são:

  • Aumento do fluxo sanguíneo para o útero: estudos mostram um aumento do fluxo de sangue para a artéria uterina com maior aporte de nutrientes, oxigênio e agentes antioxidantes. Ocorre um aumento da resposta Th2 e diminuição da Th1 no endométrio, maior expressão de citocinas locais e inibição das células NK, uma ação molecular mediada por circRNAs, além do aumento da expressão do VEGF (fator de crescimento vascular endotelial), melhorando a espessura e a receptividade do endométrio. Outros estudos também mostram uma melhor resposta ovariana em mulheres más respondedoras;
  • Diminuição da ansiedade e do estresse emocional: cerca de 86% dos pacientes submetidos a acupuntura apresentam uma sensação de relaxamento já nas primeiras sessões. O uso da acupuntura auricular associada à acupuntura sistêmica produz esse relaxamento por liberação de neurotransmissores no sistema nervoso central, como a serotonina e a betaendorfina;
  • Modulação da secreção dos hormônios femininos: ainda não se sabe qual o exato mecanismo de ação pelo qual a acupuntura age no sistema neuroendocrinológico.

Entretanto, estudos mostram que a acupuntura libera neurotransmissores que influenciam as funções autonômicas, imunológicas e reprodutivas, principalmente pela liberação de betaendorfinas no sistema nervoso central, com a modulação das funções hipotalâmicas. Muitos estudos mostram uma melhora dos ciclos ovulatórios em mulheres com SOP.

Como conclusão, por ser um tratamento simples e praticamente isento de efeitos colaterais, a acupuntura pode ser indicada para todas as mulheres em programação de fertilização assistida. As sessões devem ser iniciadas antes mesmo da estimulação ovariana ou do preparo endometrial e realizadas principalmente próximo ao dia da transferência de embriões. A escolha dos pontos de acupuntura deve ser feita de forma individual, de acordo com o diagnóstico pela MTC. Lembre-se sempre de que a fertilidade é um evento de todo o corpo, e a paciente, uma vez equilibrada, terá sua gravidez como consequência.

* Médico ginecologista e obstetra. Acupunturista com experiência no tratamento da infertilidade.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

A infertilidade é uma doença silenciosa e que a cada ano que passa vai atingindo mais pessoas…
Concentração de espermatozoides que os homens liberam durante a ejaculação caiu mais de 50% nos últimos 50…
Brasil realiza mais de 70 mil cirurgias bariátricas por ano: acompanhamento médico é essencial para garantir a…
Com a entrada em vigor da Resolução CFM Nº 2.336, ocorreram importantes mudanças nas regras relacionadas à…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS