A importância do laboratório de andrologia para reprodução humana

Thais Serzedello de Paula*

O laboratório de andrologia é responsável pela análise e pela manipulação dos gametas masculinos: o espermatozoide. Desde 1980, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou o primeiro manual voltado para a descrição da análise seminal, a importância do laboratório de andrologia vem ganhando cada vez mais espaço na reprodução humana, fato importante, uma vez que cerca de 30% a 35% dos fatores de infertilidade conjugal estão associados a um indicador masculino.

O atendimento ao público masculino tornou-se uma especialidade dentro da reprodução, pois a qualidade espermática pode interferir diretamente no sucesso dos ciclos de fertilização. Sabemos que o espermatozóide é uma célula delicada e que merece atenção e dedicação no seu manuseio. Essa atenção especial começa no atendimento, sendo de suma importância o acolhimento do paciente.

A colheita do ejaculado deve ser feita, preferencialmente, por masturbação, o que pode causar algum desconforto para o paciente. Por isso, o manual da OMS traz um capítulo específico sobre as especificidades da sala de coleta do esperma, visando ao bem-estar do paciente, pois se sabe que o psicológico pode afetar diretamente a colheita e a qualidade do material.

O espermograma é o primeiro exame a ser realizado para avaliar a produção dos espermatozoides. Nele, alguns pontos são de extrema importância, tais como as análises da motilidade, da concentração e da morfologia espermática. Apesar de parecer um exame simples, o espermograma vai direcionar a conduta do casal; por isso ele deve ser analisado por um especialista.

A descrição dos parâmetros macroscópicos e microscópicos avaliados no espermograma estão presentes no manual da OMS, que vem sendo atualizado periodicamente. Alguns parâmetros foram incorporados e outros tiveram seus valores de referência alterados, conforme os estudos que avaliam a qualidade seminal de homens férteis foram sendo desenvolvidos. Na tabela abaixo estão descritas as atualizações do manual da OMS e seus respectivos valores de referência.

Parâmetros seminais OMS

A morfologia espermática é o parâmetro que mais sofreu alteração na sua análise. Isso se deve, principalmente, às publicações realizadas por Kruger e colaboradores que, a partir de 1988, começaram a publicar diversos estudos relacionando morfologia espermática e o potencial de fertilização. A partir desses achados, a análise da morfologia passou a ser chamada de estrita, pois há critérios rigorosos na classificação do espermatozoide normal.

Além disso, alguns estudos apontam que a qualidade seminal vem diminuindo ao longo dos anos, o que reforça ainda mais a importância de um profissional focado na análise e no preparo desse material. Outro ponto importante é que a fonte de espermatozoides pode não ser o ejaculado, mas, sim, proveniente de uma ejaculação retrógrada, de uma eletro ou vibroestimulação. Atualmente, com o avanço das técnicas cirúrgicas, a obtenção dos espermatozoides do epidídimo e do testículo já são uma realidade muito bem estabelecida.

Outros testes para averiguar a qualidade do sêmen vêm sendo desenvolvidos e colocados na rotina do laboratório de andrologia. O teste que avalia a integridade do DNA espermático é um exemplo disso. Ele se tornou um exame complementar ao espermograma e de suma importância na avaliação de infertilidade masculina.

A atuação do laboratório de andrologia pode ser dividida em duas: o laboratório voltado para o diagnóstico, que irá realizar todos os exames para auxiliar o médico no diagnóstico da infertilidade; e o laboratório terapêutico, no qual o andrologista fica responsável por processar o material seminal, ou seja, selecionar, por meio de técnicas laboratoriais, os melhores espermatozoides para a realização de uma inseminação intrauterina ou para a fertilização in vitro.

O laboratório também pode atuar na preservação da fertilidade masculina, realizando o congelamento seminal para aqueles pacientes que irão realizar algum procedimento que pode comprometer de forma permanente ou temporária a qualidade ou a produção dos espermatozoides.

Visto todo esse cenário, o laboratório de andrologia é, sim, de extrema importância para a reprodução humana, e deve estar estruturado para oferecer diagnósticos apropriados e terapias individualizadas realizadas por profissionais treinados e habilitados visando à consistência em seus resultados.

* Bióloga e biomédica. Mestra e doutoranda em Reprodução Humana. Andrologista sênior da Crio Brasil/Fairfax Cryobank Brasil.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

A infertilidade é uma doença silenciosa e que a cada ano que passa vai atingindo mais pessoas…
Concentração de espermatozoides que os homens liberam durante a ejaculação caiu mais de 50% nos últimos 50…
Brasil realiza mais de 70 mil cirurgias bariátricas por ano: acompanhamento médico é essencial para garantir a…
Com a entrada em vigor da Resolução CFM Nº 2.336, ocorreram importantes mudanças nas regras relacionadas à…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS