Doenças que impactam a qualidade de vida da mulher podem ter opções de tratamento pouco invasivos

Endometriose, miomatose e menopausa impactam a fertilidade, além de provocar dores e desconforto. O tratamento com implante hormonal inibe o avanço desses problemas e ameniza os sintomas

Os cuidados com a saúde da mulher devem ser realizados todos os meses do ano como forma de prevenção e sempre quando o corpo apresenta algum sintoma ou indica que algo não está bem. Procurar apoio médico é fundamental, principalmente quando se trata de doenças que têm desenvolvimento silencioso no início.

A endometriose atinge uma em cada dez mulheres no Brasil, segundo o Ministério da Saúde e 180 milhões no mundo todo, a partir de estimativa da Organização Mundial da Saúde. De causas desconhecidas, os sintomas mais comuns são dor na região pélvica e durante as relações sexuais, dor e sangramento ao urinar e evacuar, principalmente no período menstrual e fadiga. Outro agravante é a dificuldade de engravidar, ainda mais por acometer mulheres em idade fértil. Todos eles proporcionam dificuldade de se manter uma rotina diária não só de trabalho, mas na vida pessoal.

Já a miomatose, tumores benignos uterinos, dependendo da localização podem causar sangramentos menstruais e durante o ciclo, além de anemia. Outro problema hormonal que afeta drasticamente a vida da mulher é a menopausa. O último ciclo de menstruação vem acompanhado de sintomas climatéricos, como ondas de calor intensas que acontecem principalmente à noite, piorando a insônia, perda óssea e até sintomas psíquicos como depressão e ansiedade.

“Esses três problemas de saúde podem ter os sintomas aliviados e desenvolvimento interrompido a partir da aplicação de implantes hormonais que liberam a medicação em dosagens indicadas pelo profissional médico/a que acompanha a paciente. Ao amenizar os distúrbios causados no dia a dia, a mulher consegue retomar à uma rotina antes da piora dos sintomas, aliviando não apenas as dores físicas, mas contribuindo com a saúde mental”, explica Consuelo Callizo, médica ginecologista, Diretora Médica do CEPARH e das Clínicas Elsimar Coutinho.

A Elmeco, farmácia de manipulação de implantes hormonais, uma das pioneiras a atuar no setor em âmbito mundial, reforça a importância de estender o tratamento e prevenção de doenças como endometriose, miomatose, TPM (tensão pré-menstrual), menopausa e outras que impactam a rotina e qualidade de vida da população feminina.

Os implantes hormonais à base de gestrinona, estradiol, testosterona , nestorone e/ou acetato de nomegestrol são medicamentos manipulados e regulamentados, utilizados como forma farmacêutica preparada sob prescrição médica, na qual o hormônio puro encontra-se armazenado em um tubo de silicone especialmente produzido para este fim, conforme especificações e critérios de avaliação internacionalmente reconhecidos, de acordo com a demanda individual de cada paciente.

A taxa de liberação destas medicações, por meio do implante de silicone, é conhecida pela avaliação in vitro e in vivo, a partir dos dados obtidos durante décadas de utilização e estudos. Por ser implantado, as mulheres que aderem esse tratamento, a partir de prescrição médica, não correm o risco de esquecer o uso, como acontece com a cápsula, efetivando ainda mais o controle dos sintomas, garantindo uma qualidade de vida, que sem o implante hormonal, não seria viável.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

A infertilidade é uma doença silenciosa e que a cada ano que passa vai atingindo mais pessoas…
Concentração de espermatozoides que os homens liberam durante a ejaculação caiu mais de 50% nos últimos 50…
Brasil realiza mais de 70 mil cirurgias bariátricas por ano: acompanhamento médico é essencial para garantir a…
Com a entrada em vigor da Resolução CFM Nº 2.336, ocorreram importantes mudanças nas regras relacionadas à…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS