Infertilidade: Obstetra explica quando afeta o sexo masculino

A Dra. Carolina Curci, ginecologista e obstetra, fala sobre a importância da presença do casal em consultas para compreender as causas da infertilidade

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a estimativa é de que cerca de 80 milhões de homens ao redor do mundo sejam inférteis. No Brasil, cerca de 40% dos casos de infertilidade conjugal estão relacionados exclusivamente à infertilidade masculina, enquanto outros 40% decorrem de causa feminina e 20% são casais em que tanto o homem quanto a mulher apresentam a doença.

A ginecologista e obstetra, Carolina Curci, que atua com reprodução humana ressalta que a infertilidade masculina pode estar ligada a diversas causas além da genética. “Podemos elencar alguns casos como dilatação anormal das veias testiculares, obesidade, disfunções hormonais, alcoolismo, tabagismo, má alimentação, uso de anabolizantes e infecções”, comenta a médica.

A especialista alerta que ao decidir buscar pela gravidez e iniciar as tentativas da gestação, é importante o casal conversar abertamente e ambos estarem dispostos para a realização de exames. “Sabemos que toda expectativa gira em torno da mulher, ela que busca primeiro a orientação. Mas, é extremamente importante que o companheiro participe das consultas, justamente para entender todo o processo para uma gestação, e se o caso for infertilidade, saber qual o tratamento ideal, se é para o homem ou mulher”, ressalta a Dra. Carolina.

A médica sugere, que o homem realize acompanhamento anula com urologista para realização de check-up e para que todas as dúvidas possam ser esclarecidas.

Se o casal for jovem e estiver a mais de um ano tentando engravidar de forma natural, sem sucesso, é possível que seja necessário fazer algum ajuste, e isso inclui exames para ambos. “Nesses casos, podemos ter baixa qualidade de óvulos para mulheres ou espermatozoides de má qualidade. Claro, que tudo depende de investigação e orientação para o melhor caminho para a realização do sonho desse casal”, comenta Dra. Carolina.

A ginecologista e obstetra, especialista em reprodução humana, indica algumas forma que podem colaborar para a qualidade dos espermatozoides como alimentação saudável, não exagerar no álcool, cigarro e praticar atividades físicas.

Sobre a Dra. Carolina Curci

A Dra. Carolina Curci atua com Ginecologia, Reprodução Humana e Obstetrícia, formada pela universidade de Marília no Conjunto Hospitalar Mandaqui, cursou Dermatologia Estética na ISMD e Reprodução Humana no Gera/UNIP. Suas especializações sempre foram voltadas a áreas relacionadas à saúde da mulher, desde estética ao pré-natal. Hoje é diretora técnica da Clínica Curci, onde atende gestantes de 18 a 55 anos, mulheres tentantes e que buscam acompanhamento ginecológico.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

A infertilidade é uma doença silenciosa e que a cada ano que passa vai atingindo mais pessoas…
Concentração de espermatozoides que os homens liberam durante a ejaculação caiu mais de 50% nos últimos 50…
Brasil realiza mais de 70 mil cirurgias bariátricas por ano: acompanhamento médico é essencial para garantir a…
Com a entrada em vigor da Resolução CFM Nº 2.336, ocorreram importantes mudanças nas regras relacionadas à…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS