Paciente diagnosticada com câncer de mama encontrou na reprodução humana a esperança para a maternidade

Milena viu seu sonho estar por um fio, mas encontrou uma chance de realizá-lo

Apesar de muitas mulheres preferirem optar pela maternidade cada vez mais tarde, esse ainda é o sonho de muitas delas. Porém, doenças como o câncer de mama, que de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), é um dos tipos mais incidentes em mulheres no país, podem colocar esse grande desejo em risco.

O mês de outubro, marcado pelo Outubro Rosa, tem como intuito conscientizar e alertar as mulheres sobre a importância do autoexame e da prevenção do câncer de mama. Se descoberto precocemente, a chance de cura, de acordo com a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama, pode chegar a 95%.

Descobrir a doença em um exame de rotina, para Milena Kerbauy, de 37 anos, moradora de São José do Rio Preto, foi um grande susto. A jovem estava com planos de engravidar, já que estava casada há 3 anos e em consenso com seu marido, acreditavam ser o melhor momento para a chegada de um bebê.

“Recorri a minha ginecologista para fazer o pré-natal. Foi onde em um dos exames encontramos um nódulo mamário e então fui diagnosticada com câncer de mama”, conta Milena.

A doença é causada pela multiplicação anormal de células, que contribui para a formação do tumor cancerígeno. Porém, outros fatores como pré-disposição genética, má alimentação, sedentarismo, idade, obesidade e entre outros, podem aumentar ainda mais as chances do câncer se desenvolver.

Como o câncer pode afetar a fertilidade?

Pelo fato do tratamento da doença ser complexo, procedimentos como a quimioterapia, pode trazer em cerca de 40 a 80% dos casos, a ausência da menstruação, forçando uma menopausa precoce. Vale lembrar que a infertilidade não ocorre com todas as mulheres portadoras de câncer, dependendo do tipo de tratamento, ele pode diminuir a reserva ovariana feminina, como foi o caso de Milena, que antes de iniciar a quimioterapia, decidiu congelar seus óvulos e preservar a sua fertilidade.

“Os tratamentos para o câncer de mama podem comprometer a fertilidade da mulher, pois são prejudiciais para os ovários. Felizmente, hoje já existem técnicas para preservar a fertilidade feminina em pacientes oncológicas, entre elas o congelamento de óvulos. Uma vez que os óvulos são retirados antes do início do tratamento e criopreservados, poderão ser utilizados futuramente, quando a paciente já estiver tratada e apta a engravidar”, explica Nilo Frantz, especialista em reprodução humana, da Nilo Frantz Medicina Reprodutiva, em São Paulo.

Ao finalizar o tratamento oncológico, Milena decidiu tirar o seu sonho do papel e ir atrás de alternativas para a realização do seu sonho da maternidade. As opções de tratamentos de reprodução encontrados em sua cidade não trouxeram resultados.

“Quando terminei o tratamento, meu oncologista me indicou o trabalho do Dr. Nilo Frantz, pois precisava de um profissional sério e que fizesse meu tratamento de reprodução de forma individual e acolhedora, pois devido ao meu histórico eu precisava de um médico com uma visão ampla e integrativa da minha saúde, visando sempre a vida e a minha saúde”, conta.

Após uma série de exames, Milena foi orientada a realizar o tratamento da fertilização in vitro e na primeira tentativa com um embrião, a nutricionista engravidou.

“A fertilização in vitro é um dos métodos de tratamento mais conhecidos no mundo. Ele surgiu na década de 70, e desde então, evoluiu consideravelmente. O objetivo da FIV é tratar mulheres com problemas de infertilidade. Atualmente, a sua indicação é ampliada para as mais diversas causas de infertilidade masculina e feminina”, explica Frantz.

O especialista que ajudou a realizar o sonho de Milena é pioneiro da fertilização in vitro no país. Frantz foi responsável pelo nascimento do primeiro bebê pela técnica de Maturação In Vitro de Óvulos (IVM).

Como funciona a FIV?

Após a realização de todos os exames laboratoriais e a confirmação de que a técnica adequada é a FIV iniciam-se as etapas de tratamento. A primeira delas é a estimulação ovariana.

“A estimulação ovariana é um processo que tem como principal objetivo aumentar o número de óvulos produzidos. A técnica é realizada através da injeção de medicamentos que estimulam os ovários a produzir mais óvulos, para obter um número maior de embriões”, explica Frantz.

Em seguida, é feita a punção folicular, quando os folículos alcançam o tamanho adequado para o procedimento, assim como uma boa quantidade de óvulos e uma injeção de hCG é feita para ajudar no amadurecimento do óvulo.

A terceira etapa é a coleta dos espermatozoides e a fecundação do óvulo. Após isso, eles são observados diariamente no laboratório e os embriões saudáveis são separados para a etapa de transferência embrionária.

O positivo

Após 10 dias da transferência do embrião, o Dr. Nilo solicitou um exame de sangue para Milena confirmar a gravidez. Porém, como não conseguia segurar a ansiedade, Milena realizou um teste de farmácia com 9 dias.

“Choro toda vez que me lembro, porque o sentimento de gratidão, paz, euforia, alegria foi tão imenso que fica sempre essa vontade de chorar e agradecer a Deus por ter colocado um profissional tão maravilhoso em nosso caminho, que não me olhou apenas como uma paciente e sim como uma mulher cheia de planos e com um desejo enorme em gerar uma vida”, relembra a nutricionista.

O processo até o resultado positivo durou em torno de 8 meses, por conta de alguns obstáculos que foram surgindo durante o tratamento.

Superação

“Com tudo o que vivi, hoje olho pra trás e até eu não acredito que nunca desisti com tantos e tantos obstáculos, porque cada exame que eu fazia era uma nova descoberta para não conseguir engravidar, mas a equipe do Dr. Nilo não desistiu de mim e me deu forças pra não desistir do meu sonho”, conta Milena.


Emocionada, a mãe de primeira viagem afirma que quando encontra uma mulher na mesma situação que ela, faz questão de motivar independente das dificuldades.

“Hoje meu milagre tem 1 ano e 6 meses e se chama Henrique. Cada medo, insegurança e tristeza, tudo isso faz parte mas quando Deus coloca essa vontade em nosso coração, o bem maior vence e peço para todas as mulheres que tem esse sonho que não desistam. O melhor sempre está por vir e gerar uma vida pra mim foi o melhor que fiz até hoje na minha vida”, comemora.

Crédito: Divulgação

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Considerada a segunda doença mais frequente entre mulheres na sua fase reprodutiva, endometriose pode levar até sete…
Uma em cada dez mulheres no mundo podem sofrer com o problema de saúde De acordo com…
O principal cuidado em relação aos miomas é a realização de exames periódicos, afirma o  especialista em…
Diante do crescimento alarmante dos casos e mortes em 2024, a especialista do Hospital Digital Vitta, do…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS