Pré-natal: acompanhamento assegura o desenvolvimento saudável da gestação

Não importa a quantidade de filhos. Cada gestação sempre será um momento único e de grandes transformações para a mulher. Durante os meses que seguem, o corpo se modifica lentamente para favorecer o desenvolvimento do feto, preparar a mãe para o parto e deixar o corpo feminino apto à maternidade. É por isso que o acompanhamento pré-natal é fundamental para monitorar a saúde da gestante e do bebê.

Assim que receber a confirmação de uma gravidez, a mulher deve procurar acompanhamento médico e iniciar o pré-natal, para assegurar o desenvolvimento saudável da gestação. A assistência faz parte da Atenção Primária à Saúde (APS) e é fornecida pelas redes pública e privada de saúde.

O acompanhamento periódico segue datas pré-estabelecidas: mensalmente, até a 28ª semana; quinzenalmente, da 28ª à 36ª semanas e, semanalmente, a partir desse momento. “É importante ressaltar que o pré-natal pode e deve ser realizado por parceiros ou parceiras da mãe e, inclusive, pela família, sempre que houver essa possibilidade e for da vontade da gestante. As transformações vivenciadas durante a gravidez são fisiológicas e psicológicas. Compreender todas essas mudanças é fundamental para preparar todo o núcleo familiar para a chegada do bebê”, destaca o patologista clínico do Grupo Sabin, Luiz Carlos Carvalho dos Santos.

Durante o pré-natal, devem ser realizados exames laboratoriais para monitorar a saúde da gestante e do bebê. Hemograma, glicemia, teste de tolerância à glicose, tipagem sanguínea e fator Rh, sorologias (para sífilis, citomegalovírus, rubéola, toxoplasmose, hepatites B e C e HIV), teste de Coombs Indireto, no caso de mãe com fator Rh sanguíneo negativo, e exames de urina são alguns dos testes que precisam ser feitos pela mulher. “Entre a 35ª e 37ª semanas, a parturiente deve realizar uma cultura de secreção vaginal e perianal para Streptococcus Agalactiae para verificar se apresenta colonização pela bactéria, pois a sua presença durante o parto poderá trazer problemas para o recém-nascido e para a mãe. Além disso, a proteção vacinal também é importante durante a gestação”, pontua o especialista.

Complicações e síndromes genéticas

A gestante pode apresentar alguns problemas durante a gestação, como pressão alta, diabetes e sangramentos. Em outros casos, essas complicações podem acometer o bebê e o seu bom desenvolvimento. “O acompanhamento pré-natal favorece a descoberta precoce de sintomas e condições específicas, que devem ser avaliadas de perto pelos profissionais de saúde. A adoção de hábitos saudáveis é fundamental para prevenir complicações e doenças que podem surgir na gravidez. Priorizar uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos regularmente e ter sono de qualidade são cuidados essenciais durante toda a vida e ainda mais importantes na gravidez”, ressalta Luiz Carlos.

As síndromes genéticas — das quais uma das mais conhecidas é a Síndrome de Down — também são facilmente diagnosticadas por teste de pré-natal não invasivo (NIPT). Esse é um exame de triagem com tecnologia desenvolvida para pesquisar as principais alterações cromossômicas no feto através do sangue da mãe. “Esses testes são mais indicados para detectar outras alterações cromossômicas além da Síndrome de Down (Trissomia do cromossomo 21), como: Patau (Trissomia do cromossomo 18) e Edwards (Trissomia do cromossomo 13)”, comenta o patologista.

Um dos exames indicados para esse diagnóstico é a ecografia obstétrica com medida da translucência nucal, realizada durante o exame de ultrassom do primeiro trimestre (entre 11 e 14 semanas) de gestação. O teste mede uma prega na nuca do feto, possibilitando a triagem, já que determinadas síndromes cromossômicas promovem acúmulo de líquido na região, alterando essa medida. “A translucência nucal serve para avaliar possíveis complicações e pode sugerir a presença de síndromes. Já o NIPT é um exame de triagem com tecnologia desenvolvida para pesquisar as principais alterações cromossômicas no feto através do sangue da mãe. A grande vantagem é que não é um exame invasivo” explica Luiz Carlos.

Para garantir todos os cuidados durante a gestação, as mães devem estar atentas ao pré-natal. Contar com acompanhamento médico especializado e realizar exames laboratoriais e de imagem complementares são fundamentais para monitorar a saúde da gestante e do bebê.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Uma em cada dez mulheres no mundo podem sofrer com o problema de saúde De acordo com…
O principal cuidado em relação aos miomas é a realização de exames periódicos, afirma o  especialista em…
Diante do crescimento alarmante dos casos e mortes em 2024, a especialista do Hospital Digital Vitta, do…
Médica da BP conscientiza sobre as características das doenças e os métodos preventivos mais comuns, que envolvem…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS