Reprodução assistida: um campo ainda cercado por mitos

Por Viviã de Sousa

@revistaevolution

A Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA) completa, em 2021, 25 anos de história. Uma trajetória marcada por grandes conquistas na área da pesquisa, da qualificação profissional e da regulamentação jurídica do exercício no país.

Ao longo desses 25 anos, a SBRA vem se destacando como imprescindível consultora técnico-científica, qualificada e atualizada sobre todos os avanços tecnológicos e legais na área da reprodução assistida, auxiliando órgãos públicos e entidades representativas do sistema de saúde nacional, a exemplo do Ministério da Saúde e do Conselho Federal de Medicina, além do Congresso Nacional, em debates e decisões sobre o tema.

Atualmente, a entidade conta com mais de 800 especialistas associados, de todas as cinco regiões do Brasil. No campo científico, é considerada uma referência internacional, porque publica no Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida (JBRA Assisted Reproduction), juntamente à Rede Latino-Americana de Reprodução Assistida (REDLARA) e à Associação Brasileira de Embriologistas em Medicina Reprodutiva (Pronúcleo), artigos científicos cujo objetivo é estimular a pesquisa e qualificar diuturnamente o atendimento de pacientes com infertilidade.

Nesta breve entrevista concedida à Revista EVOLUTION, a presidente da SBRA, Hitomi Nakagawa, fala um pouco sobre a atuação da entidade, os desafios do setor para levar informação qualificada à população e os projetos para 2021. Confira na íntegra.

EVOLUTION  A SBRA completa, este ano, 25 anos de trajetória. O que a senhora destaca de mais importante na atuação da SBRA e quais têm sido os principais desafios enfrentados pela instituição?

Hitomi Nakagawa  Desde a constituição da SBRA, em 1996, tenho participado com o espírito de colaboração entre os fundadores e associados, em um ambiente de amigos, tentando construir um trabalho para servir nossos pacientes com o que há de melhor em uma tecnologia em rápido desenvolvimento. Tenho acompanhado, com a maior admiração pelos que me precederam, suas filosofias e trabalho para preservar a essência da instituição, embasada em informações científicas sobre todos os aspectos relacionados à infertilidade, sua preservação e abordagem. Portanto, destaco o trabalho conjunto realizado com a participação de todos os associados, em um clima muito colaborativo. Já em relação ao desafio, acredito que o principal, atualmente, é esclarecer os assuntos da reprodução assistida para toda a população, que ainda são cercados de muitos mitos.

EVOLUTION  Quais têm sido as suas prioridades na presidência da SBRA?

Hitomi Nakagawa – A visão e o zelo na preparação das atividades científicas para que todos os profissionais que atuam na área tenham eventos da máxima qualidade de conteúdos, o que tem movido todos que fazem a SBRA, independentemente de cargos. A participação em debates e a atuação como fonte de informações confiáveis para instituições gestoras da saúde, mídias e população, tem sido um dos nossos combustíveis atuais. Vale lembrar, também, a atuação uníssona dos associados para conseguir insumos e mitigar prejuízos maiores aos nossos assistidos, como ocorreu e ainda ocorre nesse momento de pandemia – é muito emocionante ver a dedicação dos muitos amigos que compõem a SBRA.

EVOLUTION  Qual o perfil dos associados que compõem a SBRA? Hitomi Nakagawa  Os associados da SBRA são profissionais de várias áreas ligadas à medicina reprodutiva, desde pesquisadores de áreas básicas até profissionais que atendem a pacientes nas diferentes etapas que um ciclo de reprodução assistida precisa: biólogos, biomédicos, veterinários, farmacêuticos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, médicos, legistas.

EVOLUTION  Quais as principais dificuldades e os desafios enfrentados pelo setor de reprodução assistida?

Hitomi Nakagawa  Acredito que, neste momento, o maior desafio é fazer chegar as informações e os esclarecimentos da forma mais eficaz e fidedigna em relação ao coronavírus (SARS-CoV-2) e à saúde reprodutiva para a população, além de manter as demais atividades científicas em dia, sem deixar de atender às demandas do dia a dia da SBRA, como a relação com a mídia, sempre que requisitada.

EVOLUTION  Quais são os principais projetos da instituição para o segmento?

Hitomi Nakagawa  Nosso objetivo é tornar a reprodução assistida mais acessível para toda a população, contemplando mais pessoas necessitadas e que não podem pagar pelos procedimentos, sem comprometer seus resultados, como nos programas que aconteceram em outros países.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Considerada a segunda doença mais frequente entre mulheres na sua fase reprodutiva, endometriose pode levar até sete…
Uma em cada dez mulheres no mundo podem sofrer com o problema de saúde De acordo com…
O principal cuidado em relação aos miomas é a realização de exames periódicos, afirma o  especialista em…
Diante do crescimento alarmante dos casos e mortes em 2024, a especialista do Hospital Digital Vitta, do…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS