Gestantes sofrem com a proximidade do verão

Ginecologista do Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição dá dicas para aliviar o mal-estar causado pelas altas temperaturas

O fim do ano se aproxima e, junto com ele, o intenso calor do verão brasileiro. Nesta época é comum que muitas pessoas tenham mal-estar, falta de disposição e problemas para se alimentar já que as altas temperaturas do ambiente afetam diretamente o nosso corpo. Para as gestantes, lidar com esse período é ainda mais complicado devido às alterações hormonais e vasculares. Ou seja, as futuras mamães se tornam mais suscetíveis a terem complicações nestes meses.

A obstetra do Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição, Drª. Marina Barbosa, explica que nesse calor é comum que a gestante comece a suar mais. Por isso, ela deve se hidratar melhor a fim de evitar hipotensão.

” É muito comum a gestante ter queda de pressão nos climas mais quentes, pelo fato de apresentar mais suor e perder muito líquido. Ela pode apresentar tontura, visão turva e sensação de desmaio ou mesmo chegar a desmaiar. Grávidas tem uma pré-disposição maior a quedas e acidentes por causa da diminuição da pressão”, disse a médica.

A especialista ressalta que o ideal é que ela se alimente a cada 3 horas e que consuma bastante água. Os alimentos que contêm líquido também são muito importantes para manter a pressão mais estável.

“Esse suor excessivo das gestantes pode causar desidratação. Por isso recomenda-se que toda gestante deve beber quantidade superior a 2 litros de água por dia, associado a outros líquidos como sucos, líquidos contidos nos alimentos. Ideal sempre andar com uma garrafinha de água para reduzir o risco de desidratação, principalmente neste período de calor”, completa a ginecologista.

Um outro problema que as altas temperaturas trazem para as futuras mamães é o inchaço em algumas partes do corpo. Quando mais quente, maiores são as chances de elas incharem. Isto ocorre devido as alterações hormonais e vasculares associadas ao calor que faz com que haja uma dilatação dos vasos sanguíneos, causando uma predisposição maior ao inchaço. Algumas formas de evitar esse sintoma são: deitar-se de maneira a ajudar a circulação, praticar exercícios físicos, reduzir o consumo de sódio e usar trajes confortáveis.

Para aquelas que preferem aproveitar o verão pegando um solzinho e apreciando a água fresca das praias e piscinas, a especialista faz alguns alertas. O primeiro deles é em relação à exposição ao sol, já que a pele da gestante fica mais sensível por causa das inúmeras alterações hormonais e vasculares.

“A gestante pode até se expor ao sol, mas ela sempre deve usar protetor solar, inclusive para ficar em casa. Isto porque, pelo fato de a pele estar mais fina, fica mais suscetível a adquirir lesões por causa do sol. É ideal também ficar atenta aos horários em que tem uma maior incidência dos raios solares. Bem cedinho, pela manhã, e mais para o fim da tarde, que seria uma exposição mais segura”, alerta Drª. Marina.

Sobre a alimentação, o ideal é que nenhuma gestante consuma alimentos do qual não se sabe qual foi a procedência. Os quitutes da praia são alguns exemplos que devem ser evitados já que não se sabe como foi feita a higienização e o preparo deles. Então, a fim de eliminar as chances de qualquer tipo de contaminação gastrointestinal, o ideal é que a gestante consuma apenas alimentos que ela tenha preparado em casa ou industrializados.

Em sua alimentação, até mesmo cotidiana, deve-se dar preferência a comidas frescas como verduras e legumes, frutas e alimentos que não sejam de difícil preparo. Alimentos que ela fique menos tempo para preparar e que não se utilize muito forno e fogão, exposição às altas temperaturas.

Por fim, ela pede atenção ao uso de biquínis molhados por um longo período.

“Ficar muito tempo com o biquíni molhado pode predispor a corrimentos vaginais, principalmente a candidíase. A gestante já tem a imunidade mais baixa e tendência a ter uma alteração maior do PH vaginal, o que a torna mais suscetível a ter candidíase. Sendo assim, se o biquíni ficar molhado por muitas horas é mais um fator que pode influenciar a desenvolver esses corrimentos”, explica a médica.

As noites também podem ser períodos muito difíceis, principalmente depois de um dia de exposição ao sol. Sendo assim, a especialista dá algumas dicas para aliviar o calor e tornar as madrugadas das gestantes um pouco mais agradáveis.

“Se deitar com uma roupa mais leve, mais fresca. Se for dormir de calcinha dê preferência para uma calcinha de algodão. Evitar o consumo de alimentos pesados e quentes à noite, como por exemplo, os que contêm pimenta ou cafeína”.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

A infertilidade é uma doença silenciosa e que a cada ano que passa vai atingindo mais pessoas…
Concentração de espermatozoides que os homens liberam durante a ejaculação caiu mais de 50% nos últimos 50…
Brasil realiza mais de 70 mil cirurgias bariátricas por ano: acompanhamento médico é essencial para garantir a…
Com a entrada em vigor da Resolução CFM Nº 2.336, ocorreram importantes mudanças nas regras relacionadas à…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS