Infertilidade atinge cada vez mais homens e mulheres no mundo

A infertilidade é uma doença silenciosa e que a cada ano que passa vai atingindo mais pessoas ao redor do mundo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 1 a cada 6 pessoas sofrem com a doença, o que representa também 17,5% da população mundial. Cada vez mais é necessário que informações e a acessibilidade visando um maior conhecimento da doença e seus tratamentos cheguem em uma maior quantidade de pessoas para que o tabu que existe em relação a doença possa ser quebrado.

Dados recentes afirmam que 15% dos casais em idade reprodutiva possuem infertilidade.

O especialista em reprodução humana, Dr. Paulo Tudech, da Nilo Frantz Medicina Reprodutiva, afirma que uma pessoa é considerada infértil a partir de quando está tentando durante o período de 12 meses uma gestação, sem o uso de métodos contraceptivos e não há sucesso. Já em mulheres que tenham mais de 35 anos, o período para analisar uma possível infertilidade é de 6 meses.

De acordo com o médico, nas causas femininas, doenças como endometriose, câncer, miomas, síndrome dos ovários policísticos, comprometimento das trompas e idade avançada contribuem para a infertilidade.

“Já nos homens, a obstrução dos canais ejaculatórios por infecções ou vasectomia, distúrbios que tenham afetado os testículos na infância, diminuição na quantidade ou na motilidade dos espermatozoides, câncer e outras doenças também podem influenciar”, explica Tudech.

Hábitos de vida como a obesidade, estresse, alcoolismo, tabagismo, doenças pré existentes ou que surjam ao longo da vida contribuem para tornar uma pessoa infértil.

Como chegar ao diagnóstico

O primeiro passo é procurar um especialista e explicar a sua situação. Em seguida ele pedirá exames específicos para avaliar se há algo errado com a reserva ovariana feminina e nos espermas masculinos. Com os resultados será possível chegar a um diagnóstico ou prolongar a investigação.

Entre os principais exames solicitados na fase de investigação estão: dosagem hormonal, ultrassonografia transvaginal, contagem de hormônio anti-mulleriano, biópsia de endométrio e entre outros para as mulheres e para os homens, o espermograma e teste hormonal são os principais”, explica Tudech.

Como a reprodução humana pode contribuir

Se de fato a infertilidade for diagnosticada, existem formas dentro da reprodução humana nas quais você poderá conseguir realizar o sonho da maternidade ou paternidade, com os tratamentos abaixo:

Indução de Ovulação: neste tratamento de Baixa Complexidade, também conhecido com o Coito Programado, se faz uma indução medicamentosa da ovulação e programamos o melhor momento para o casal ter Relação Sexual. Por isso também chamamos este tratamento de Relação Sexual Programada.

Inseminação artificial: procedimento em que o sêmen é preparado e inserido diretamente no interior do útero, com o objetivo de aproximar o espermatozoide do óvulo, facilitando a sua fertilização.

Fertilização in vitro (FIV): Tratamento no qual a fertilização dos gametas é feita em laboratório. Os pré-embriões são transferidos para o útero da mãe, onde será desenvolvida a gestação.

Quando o tratamento de FIV é realizado, muitas vezes temos que partir para a Ovodoação: Processo no qual permite que a mulher receba óvulos doados

Quando a mulher faz uso de óvulos doados,  estes serão fertilizados com sêmem  do seu companheiro ou eventualmente de sêmen de doador.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Imunoterapia, anticorpos conjugados, sequenciamento genético e por onde caminha a pesquisa clínica que visa beneficiar as pacientes…
Técnica permite menor custo e menos efeitos colaterais nas pacientes…
Em 27 de agosto, às 19h, o “Nós Tentantes, Projeto de Vida” idealizado por Karina Steiger, mãe…
De acordo com o IBGE, o número de casamentos entre pessoas LGBTQIAPN+ cresceu no Brasil e superou…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS