Novela Renascer abordará infertilidade masculina

Especialista em reprodução humana explica a importância de abordar o assunto em rede nacional

onsiderado um tabu na vida de homens e mulheres, a infertilidade será pautada na nova novela da Rede Globo, ‘Renascer’. Após 30 anos da exibição original, a história voltará às telinhas em um remake com algumas mudanças, sendo uma delas a infertilidade do personagem José Augusto, primogênito de José Inocêncio.

Cerca de 17,5% da população mundial sofrem de uma doença silenciosa chamada infertilidade. De acordo com a OMS, a doença atinge uma a cada seis pessoas e pode ser definida como a incapacidade de conseguir alcançar uma gestação após um ano de tentativas com relação sexual ativa sem o uso de contraceptivos.

“É muito importante saber que a infertilidade ganhará um lugar de destaque nacional. Muitas pessoas possuem vergonha do diagnóstico e não procuram ajuda. Deixam o sonho da maternidade ou da paternidade de lado, sendo que há formas de tratamento para a doença, porém, ainda pouco se fala sobre o tema”, explica Nilo Frantz, especialista em reprodução humana da Nilo Frantz Medicina Reprodutiva.

Frantz explica que a doença atinge 15% dos casais em idade reprodutiva.

“Devido à tendência em deixar para engravidar mais tarde, alguns estudos já apontam para uma taxa de 20%”, explica.

Causas

A infertilidade pode ser causada por fatores masculinos, femininos ou de ambos. Segundo Frantz, as principais causas femininas que contribuem para a infertilidade são a endometriose, a síndrome dos ovários policísticos, comprometimento das trompas e idade avançada.

Nos homens, a obstrução dos canais ejaculatórios por infecções ou vasectomia, distúrbios que tenham afetado os testículos na infância, diminuição na quantidade ou na motilidade dos espermatozoides e outros.

Vale ressaltar que os hábitos de vida influenciam muito na fertilidade e alguns fatores como o estresse, excesso de fumo, álcool, alterações de peso, dieta, doenças pré existentes ou doenças que surjam ao longo da vida como o câncer, por exemplo, podem contribuir para que uma pessoa fique infertil ao longo da vida.

De acordo com Frantz também existem remédios que podem contribuir para a infertilidade, como anabolizantes, alguns antibióticos que contenham eritromicina, antidepressivos com fluoxetina, drogas e entre outros.

Procure um especialista

Caso esteja tentando engravidar há um ano e não obteve sucesso é chegada a hora de procurar um profissional para a realização de exames específicos.

“Para as mulheres são pedidos exames como dosagem hormonal, ultrassonografia transvaginal, contagem de hormônio anti-mulleriano, biópsia de endométrio e entre outros. Já para os homens, o espermograma e teste hormonal são os principais, mas também existem outros”, explica.

Infertilidade comprovada, o que fazer?

Segundo o especialista, é possível sim curar a infertilidade masculina.

“Para isso acontecer, é necessário um diagnóstico preciso para escolher um tratamento medicamentoso ou cirúrgico. Em determinados casos não existe a possibilidade da recuperação natural da fertilidade”, explica Nilo Frantz

Se não houver a possibilidade de conseguir a gestação da companheira por meios naturais, a reprodução assistida com os avanços tecnológicos e científicos ajudam a contribuir no sonho desses pacientes com dois tratamentos: a Fertilização In Vitro e a Inseminação Artificial.

A Fertilização in vitro (FIV) é um processo em que a fertilização dos gametas é feita em laboratório. Os pré-embriões são transferidos para o útero da mãe, onde será desenvolvida a gestação.

Na Inseminação artificial, o procedimento em que o sêmen é preparado e inserido diretamente no interior do útero, com o objetivo de aproximar o espermatozoide do óvulo, facilitando a sua fertilização.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Imunoterapia, anticorpos conjugados, sequenciamento genético e por onde caminha a pesquisa clínica que visa beneficiar as pacientes…
Técnica permite menor custo e menos efeitos colaterais nas pacientes…
Em 27 de agosto, às 19h, o “Nós Tentantes, Projeto de Vida” idealizado por Karina Steiger, mãe…
De acordo com o IBGE, o número de casamentos entre pessoas LGBTQIAPN+ cresceu no Brasil e superou…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS