Novembro Roxo: Philips Avent adere a movimento em prol da conscientização da prematuridade e da importância do aleitamento materno

A especialista internacional em aleitamento materno e consultora da marca, Eneida Souza, aborda o impacto emocional do sonho interrompido pela chegada de um bebê prematuro na família, além de listar razões que levam a gestante a ter um parto nesses termos

Philips Avent – marca número 1 em recomendação das mães e uma das pioneiras em puericultura no mundo – abraça o movimento Novembro Roxo, em prol do Dia Mundial da Prematuridade, comemorado em 17 de novembro em todo o mundo. Levantamento do Ministério da Saúde aponta que no Brasil 340 mil bebês nascem prematuros todo ano, o equivalente a 931 por dia ou a 6 prematuros a cada 10 minutos. Por conta disso, a data e todo o mês de novembro buscam dar visibilidade e sensibilizar a sociedade sobre as necessidades e direitos dos bebês prematuros e das suas famílias.

Para abordar o assunto, a Philips Avent convida a consultora da marca, Eneida Souza, instrutora e educadora internacional em Aleitamento Materno, para responder à algumas questões sobre a prematuridade, o que é, e como as mães, na medida do possível, podem evitá-la. Além disso, apoiar a família que vive a montanha russa de ter um filho recém-nascido prematuro.

Philips Avent: Quais são as principais complicações na gestação que podem levar à prematuridade?

Eneida Souza: As principais causas que podem levar a um nascimento prematuro são: hipertensão, tabagismo, drogas ilícitas. gestação de múltiplos, idade materna, infecções adquiridas pela mãe, pré-natal de baixa qualidade ou inexistente, posição de implantação da placenta ou patologias no útero, entre outros.

Philips Avent: Há cuidados que devemos ter para evitar o nascimento prematuro?

Eneida Souza: Sim, existem vários. O principal deles é realizar as consultas pré-natais regularmente, além de realizar todos os exames indicados pelo médico obstetra para prevenir infecções, doenças e acompanhar com frequência gestações que apresentem alteração no seu curso. É importante que a gestante mantenha hábitos de vida saudáveis, alimentação equilibrada, suplementação das principais vitaminas que estão diretamente ligadas ao desenvolvimento adequado do feto. Não ingerir álcool e não fazer uso de tabaco complementam as recomendações.

Philips Avent: Por que o aleitamento materno para o recém-nascido prematuro é importante?

Eneida Souza: O aleitamento materno do prematuro é fundamental para o fortalecimento do sistema imune do bebê, a saúde cardiovascular do recém-nascido, de forma direta e indireta, é capaz de reduzir a retinopatia da prematuridade, a incidência de sepse e enterocolite necrosante, oferecendo a colonização intestinal de um microbioma com características mais saudáveis. O aleitamento também é capaz de promover benefícios para a criança a longo prazo, como melhorar o desempenho escolar, apresentar um melhor perfil nutricional e promover o vínculo com a família, tendo em vista que no começo da vida essa proximidade é muitas vezes prejudicada pelo fato da criança estar isolada em UTI para cuidados ocasionados pela prematuridade.

Philips Avent: Como manter a amamentação exclusiva de um recém-nascido

Eneida Souza: Quando falamos em amamentação de prematuros extremos, precisamos conhecer bem e esclarecer os desafios que os pais vão enfrentar no processo.

O bebê que nasce prematuro extremo (nascido entre 24 e 30 semanas de idade gestacional) tem uma série de desvantagens em relação aos bebês nascidos a termo (a partir de 37 semanas gestacionais). Os prematuros extremos podem demorar dias, semanas, até mesmo mais de um mês na UTI Neonatal e demorar para estar aptos para serem levados ao peito para mamar.

Como especialista em Aleitamento Materno, recomendo que todas as mães de prematuros saiam da maternidade com um extrator de leite manual, custo muito baixo frente à importância do leite materno para esses pequenos heróis. Sabemos que para manter a produção de leite materno o ideal é amamentar ou extrair i leite materno a cada três horas. Precisamos acolher essas mães e pais, que muitas vezes ficam horas na maternidade para conseguir horário para extrair o leite. Para as mães de prematuros manter a produção é o maior desafio. Além dessas questões, é importante focar no aspecto emocional dessa mãe, de ela se ver capaz de produzir o melhor alimento para o seu bebê mas que, muitas vezes, pela falta do extrator em casa, não tem como extrair e manter a produção de leite como recomendado. A mãe, pai de um prematuro são juntos, verdadeiros heróis.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Apenas 47% das pessoas que se declaram bi, lésbicas ou trans se consultam regularmente. Homens trans necessitam…
Como a integração de elementos de design melhora o bem-estar emocional dos pacientes  …
Para a Dra. Waleska de Carvalho, ginecologista e obstetra da AMCR, mudanças sociais e fatores de saúde…
Valores podem chegar a até R$ 50 mil no Brasil, e, mesmo assim, técnica não garante a…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS