Obesidade afeta diretamente a fertilidade feminina e masculina

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 24,3% dos adultos brasileiros são obesos, representando 1 em cada 4 pessoas com a doença. Já a nível mundial, o número salta para mais de 1 bilhão, o que representa 1 a cada 8 pessoas que vivem com obesidade.

A doença é caracterizada por um excesso de aumento de gordura corporal que pode trazer grandes riscos à qualidade de vida de um indivíduo, inclusive problemas relacionados à fertilidade.

De acordo com o Dr. Nilo Frantz, especialista em reprodução humana, mulheres com peso excessivo, principalmente com o IMC maior que 35 kg/ m2, apresentam mais risco de ter complicações na gestação.

A Dra Rosa Silvestrim, nutricionista da equipe multidisciplinar da Nilo Frantz Medicina Reprodutiva, aponta que nas mulheres, a doença pode acarretar em risco maior de aborto em uma gestação, além de trazer impactos negativos nos óvulos, qualidade embrionária e do endométrio.

“O excesso de peso também favorece o surgimento de diabetes gestacional e hipertensão. Além disso, a mulher obesa frequentemente apresenta disfunções de ovulação que reduzem a fertilidade”, explica.

Porém, não é apenas as mulheres que podem ser impactadas na fertilidade, os homens também podem apresentar espermatozoides de qualidade inferior.

“Nossos genes são determinados pelas escolhas de vida e informações que imprimimos todos os dias pelo estilo de vida e hábitos alimentares. Espermatozoides e óvulos carregam marcas deixadas pelo estilo de vida e podem comprometer a saúde dos filhos, induzindo a um quadro de obesidade futura”, afirma Silvestrim.

Como evitar a obesidade

O Dr. Nilo Frantz ressalta que cada organismo funciona de uma maneira diferente e isso também pode interferir na hora de começar a incluir hábitos mais saudáveis na rotina.

Mudanças na alimentação: Uma dieta rica e balanceada é o pontapé inicial para a mudança de hábitos. Além de ajudar na perda de peso também  que contribuem na fertilidade, alimentos simples e que facilmente são encontrados são grandes aliados da saúde como as verduras, cereais integrais, frutas ácidas, óleos vegetais ricos em vitamina C e E e gorduras boas que possam ajudar na construção do metabolismo celular e no funcionamento hormonal.

Alimentos ricos em ferro e ácido fólico, como carnes brancas e leguminosas também ajudam a potencializar a fertilidade.

Exercícios

A prática de exercícios físicos é primordial em qualquer fase da vida e contribui muito para quem quer engravidar. Além de ajudar no metabolismo, ajuda o sistema reprodutor e digestivo a trabalharem melhor.

“Uma rotina de exercícios regulares também contribui na regulação do peso, já que o excesso de peso pode interferir no ciclo menstrual da mulher e trazer riscos para uma futura gestação. Unir a alimentação balanceada e a atividade física já é um grande aliado na fertilidade feminina”, explica Frantz.

Vícios

O uso de cigarros traz diversos danos na saúde feminina, um deles é diminuir a qualidade dos óvulos e também alterar hormônios. A ingestão de álcool em excesso pode contribuir para uma entrada mais rápida das mulheres na menopausa.

Já a ação do álcool nos homens contribui na diminuição do nível de testosterona, necessária para o desenvolvimento normal do esperma.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

A infertilidade é uma doença silenciosa e que a cada ano que passa vai atingindo mais pessoas…
Concentração de espermatozoides que os homens liberam durante a ejaculação caiu mais de 50% nos últimos 50…
Brasil realiza mais de 70 mil cirurgias bariátricas por ano: acompanhamento médico é essencial para garantir a…
Com a entrada em vigor da Resolução CFM Nº 2.336, ocorreram importantes mudanças nas regras relacionadas à…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS