Período Menstrual: Entenda como a prática de exercícios pode melhorar sua saúde

Especialista afirma que fazer atividades físicas contribui para melhorar o incômodo do fluxo menstrual, dar mais energia e reduzir inchaço

Muitas mulheres sofrem com as cólicas menstruais. Estima-se que mais da metade em idade fértil sofra com dores durante esse período. Somam-se a elas outros desconfortos, como sensação de inchaço, maior sensibilidade em algumas áreas do corpo e fadiga. As alterações hormonais acabam por modificar a rotina, já que a vontade de ficar em repouso pode vencer as atividades do dia. Entretanto, manter o hábito de praticar exercícios no momento de cansaço é saudável e contribui para a melhora dos sintomas.

De acordo com o ginecologista Patrick Bellelis, colaborador do setor de endometriose do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, o exercício físico nesta fase tem efeitos benéficos, e deve ser praticado já no período que antecede o ciclo. “Além do fluxo em si, os sintomas pré-menstruais podem ser incômodos, por isso, é importante essa continuidade. Exercícios aeróbicos como natação, caminhada, corrida e ciclismo estão entre os recomendados. Eles podem ajudar a aliviar a dor, superar sintomas como depressão e fadiga, e reduzem a retenção de água e o inchaço, o que é muito comum e desconfortável”, explica o especialista.

Exercitar-se durante a menstruação mantém a mulher ativa durante todo o dia e combate a vontade de estar deitada. “O esporte melhora a circulação sanguínea em todos os músculos do corpo e os enriquece com oxigênio e nutrientes. Isso melhora a capacidade do músculo de liberar mais energia. Além disso, a menstruação pode causar problemas no estado de espírito. É comprovado que a realização de exercícios de baixa ou média intensidade melhora muito o humor”, argumenta Bellelis.

A princípio, pode parecer difícil começar a praticar exercícios nessas condições, mas o médico afirma que basta um pequeno empurrão e o resto se seguirá. “Como a atividade física diminui os hormônios como o cortisol e aumenta outros como a serotonina e a dopamina, em pouco tempo é possível notar a sensação de bem-estar e fica mais fácil seguir”, conclui.

Clínica Bellelis – Ginecologia

O ginecologista Patrick Bellelis é Doutor em Ciências Médicas pela Universidade de São Paulo (USP); graduado em medicina pela Faculdade de Medicina do ABC; especialista em Ginecologia e Obstetrícia, Laparoscopia e Histeroscopia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo); além de ser especialista em Endoscopia Ginecológica e Endometriose pelo Hospital das Clínicas da USP. Possui ampla experiência na área de Cirurgia Ginecológica Minimamente Invasiva, atuando principalmente nos seguintes temas: endometriose, mioma, patologias intrauterinas e infertilidade. Fez parte da diretoria da Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE) de 2007 a 2022, além de ter integrado a Comissão Especializada de Endometriose da FEBRASGO até 2021. Em 2010, tornou-se médico assistente do setor de Endometriose do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia do Hospital das Clínicas da USP; em 2011, tornou-se professor do curso de especialização em Cirurgia Ginecológica Minimamente Invasiva — pós-graduação lato sensu, do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês; e, desde 2012, é professor do Instituto de Treinamento em Técnicas Minimamente Invasivas e Cirurgia Robótica (IRCAD), do Hospital de Câncer de Barretos.

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Considerada a segunda doença mais frequente entre mulheres na sua fase reprodutiva, endometriose pode levar até sete…
Uma em cada dez mulheres no mundo podem sofrer com o problema de saúde De acordo com…
O principal cuidado em relação aos miomas é a realização de exames periódicos, afirma o  especialista em…
Diante do crescimento alarmante dos casos e mortes em 2024, a especialista do Hospital Digital Vitta, do…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS