Quais os impactos da adenomiose na gravidez?

Uma em cada dez mulheres no mundo podem sofrer com o problema de saúde

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a adenomiose – condição médica é caracterizada pela presença anormal de tecido glandular endometrial, o mesmo que reveste o interior do útero nas camadas musculares do útero – afeta aproximadamente uma a cada dez mulheres globalmente.

Entre os sintomas comuns da doença estão dor no período menstrual (dismenorreia), desconforto durante a relação íntima, dificuldade para engravidar, aumento do fluxo menstrual, inchaço abdominal, infertilidade e abortos espontâneos. Além disso, muitas mulheres diagnosticadas com a doença sentem insegurança em relação à sua capacidade de engravidar, e se essa condição pode prejudicar uma atual gestação.

A seguir, o Dr. Thiers Soares, ginecologista cirurgião especialista em endometriose, adenomiose e miomas, traz informações que podem ajudar a diminuir os riscos desses problemas, além de abordar as possíveis consequências da adenomiose em uma gravidez:

Impacto da adenomiose na fertilidade

A adenomiose pode afetar negativamente a fertilidade das mulheres, tornando a concepção mais desafiadora, devido a possíveis alterações na estrutura do útero que dificultam a implantação do embrião. Isso pode ser causado pelo aumento da inflamação uterina, tornando o ambiente menos propício para a gravidez e aumentando o risco de complicações. Embora nem todas as mulheres com adenomiose enfrentam dificuldades para engravidar, é importante avaliar cada caso individualmente para desenvolver estratégias de tratamento e realizar o desejo de ser mãe quando necessário.

Tratamento pré-concepção

Quando as mulheres enfrentam dificuldades para engravidar, os médicos muitas vezes recomendam exames de imagem, preferencialmente ressonância magnética, para avaliar a condição do útero, identificando a adenomiose e suas possíveis alterações. Com base nessa avaliação detalhada, estratégias de tratamento personalizadas podem ser desenvolvidas para aumentar as chances de gravidez bem-sucedida.

Antes de iniciar a jornada para conceber, algumas mulheres optam por tratar a adenomiose para aliviar sintomas e otimizar as condições uterinas. Opções terapêuticas incluem medicamentos para reduzir desconforto e sangramento menstrual excessivo, além de cirurgias para ressecar adenomioma ou adenomiose difusa, dependendo da gravidade da condição.

Tratamento cirúrgico

No tratamento da adenomiose, as opções cirúrgicas minimamente invasivas visam preservar a fertilidade e melhorar a qualidade de vida das pacientes. Procedimentos como cirurgia robótica, laparoscopia, histeroscopia e radiofrequência oferecem alternativas menos invasivas, com recuperação mais rápida e menor impacto no sistema reprodutivo.

A histerectomia (remoção do útero) é reservada para casos mais graves em mulheres não interessadas em engravidar, quando os sintomas são debilitantes e outras opções foram consideradas e descartadas.

Gravidez com adenomiose

Mulheres com adenomiose podem engravidar, mas devem estar cientes dos possíveis desafios durante a gestação, como maior risco de aborto devido às alterações no útero. Portanto, o acompanhamento médico e o cuidado pré-natal são essenciais para garantir a saúde da mãe e do feto.

Diversas opções de tratamento, incluindo terapias conservadoras e procedimentos minimamente invasivos podem aliviar sintomas e preservar o desejo de engravidar. Se um profissional sugerir que a gravidez não é possível, buscar uma segunda opinião é fundamental, especialmente se a histerectomia for recomendada.

Sobre o Dr. Thiers Soares

Doctor Honoris Causa pela Universidade Victor Babes/Romênia, Dr. Thiers Soaresgraduado em Medicina pela Fundação Universitária Serra dos Órgãos (2001), é ginecologista especialista em doenças como Endometriose, Adenomiose e Miomas. Também é médico do setor de endoscopia ginecológica (Laparoscopia, Robótica e Histeroscopia) do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ). O especialista é membro honorário da Sociedade Romena de Cirurgia Minimamente Invasiva em Ginecologia, membro honorário da Sociedade Búlgara de Cirurgia Minimamente Invasiva, membro honorário da Sociedade Romeno-Germânica de Ginecologia e Obstetrícia e membro da diretoria e comitês de duas das maiores sociedades mundiais em cirurgia minimamente invasiva em ginecologia (SLS e AAGL). Recentemente, o Dr. Thiers Soares foi um dos responsáveis por trazer para o Brasil a técnica de Ablação por Radiofrequência dos Miomas Uterino, um tratamento moderno e eficaz, que causa a destruição térmica de tumores uterino

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

* Por Cadu Lopes O setor da saúde está em constante evolução, seja por conta dos rápidos…
Padrão cultural faz com que eles desenvolvam condições que poderiam ser revertidas Homens vão menos ao médico…
Ginecologista especialista em menopausa explica a diferença entre fim de menstruação e estar na menopausa A histerectomia…
Idealizado por Karina Steiger, mamãe por ovodoação, o Nós Tentantes, Projeto de Vida percorre cidades brasileiras com…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS