Verdade ou mito: reposição de testosterona causa câncer de próstata?

A resposta é não! Ao contrário, diversos estudos mostram que o tratamento pode melhorar muito a qualidade de vida do homem

Uma pesquisa da Revista Brasileira de Cancerologia, associada ao INCA, mostra que os dois tipos de câncer que podem ser mais incidentes entre 2023 e 2025 são os de mama feminino e de próstata. Ao mesmo tempo, o Instituto projeta que a mortalidade prematura por conta da doença deve diminuir entre 2026 e 2030. Com tantos avanços que permitem saber mais sobre o problema e seus tratamentos, ainda há mitos que precisam acabar, como o de que a testosterona pode levar a um câncer de próstata.

“Ao contrário dessa afirmação, novos estudos estão utilizando a testosterona para o tratamento e cura desse tipo de câncer. Recentemente, um médico brasileiro ganhou um prêmio equivalente ao Oscar em oncologia em um estudo em que utilizava altas doses do hormônio para tratar um paciente com a doença”, comenta o endocrinologista e metabologista Igor Barcelos, especializado pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Ele acrescenta que, diferente do que se pensa, diversas pesquisas apontam que pessoas com baixos níveis de testosterona apresentam mais riscos em desenvolver o câncer de próstata, além de serem suscetíveis a uma enfermidade mais agressiva.

Na verdade, a reposição do hormônio pode trazer diversos benefícios aos homens, que incluem melhora da libido e da ereção; aumento de disposição e energia; menores riscos de depressão; uma melhor cognição; noites de sono mais saudáveis; aumento da força e da massa muscular; perda de gordura; prevenção de doenças como o próprio câncer, problemas cardíacos e neurológicos; aumento da imunidade e prevenção de anemias.

“Esse hormônio ajuda muito, principalmente na melhora da qualidade de vida como um todo do homem. Os estudos mencionados derrubam teses de que a reposição hormonal seja uma causa de aumento de câncer. Se você tem sinais de deficiência hormonal, procure seu médico de confiança e avalie a possibilidade de tratamento”, acrescenta o especialista.

A terapia de reposição de testosterona é indicada, principalmente, para o cuidado da andropausa, distúrbio hormonal natural que surge em homens a partir dos 40 anos, causando, além de problemas como disfunção erétil, diminuição da energia, cansaço crônico e perda de memória, irritabilidade e ganho de peso.

Embora o assunto seja relevante, ele não é amplamente discutido pela sociedade. Segundo pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia – SBU, mais de 57% dos homens nunca ouviram falar em andropausa e 71% desconhecem seus sintomas. O levantamento foi realizado com 3.200 homens com mais de 35 anos em oito capitais brasileiras, sendo elas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Salvador, Recife e Curitiba.

“Uma vez que é detectada a necessidade de uma reposição hormonal, é preciso realizar uma série de exames para comprovar a deficiência dos hormônios. Em seguida, devem ser feitos alguns testes para excluir doenças. Em caso de dúvidas, busque um especialista para indicar o melhor tratamento a seu caso”, conclui.

Sobre o Dr. Igor Barcelos

Médico Endocrinologista e Metabologista, com título de especialista pela SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia). Somando mais de 30 mil pacientes no Brasil, dentre as suas formações estão a residência em Clínica Médica e Pós-graduação em Medicina do Esporte pela UNIFESP.

Dr. Igor já atuou como professor universitário e hoje realiza palestras e treinamentos em sua área, sendo uma referência para colegas e pacientes em grandes eventos.  Também possui formações em desenvolvimento pessoal e negócios, sendo membro de grandes grupos com intenso networking, que possibilita cresc

NOTÍCIAS
MAIS LIDAS

Considerada a segunda doença mais frequente entre mulheres na sua fase reprodutiva, endometriose pode levar até sete…
Uma em cada dez mulheres no mundo podem sofrer com o problema de saúde De acordo com…
O principal cuidado em relação aos miomas é a realização de exames periódicos, afirma o  especialista em…
Diante do crescimento alarmante dos casos e mortes em 2024, a especialista do Hospital Digital Vitta, do…

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER E REVISTAS